Tradução | Entrevista com Masachika Kawata sobre Resident Evil Operation Raccoon City (Gamepro)

0

(Entrevista presente na edição de Maio/2011 da revista Gamepro alemã.)

GamePro: O que torna Resident Evil especial para você?

Kawata: A coisa mais interessante sobre Resident Evil para mim sempre foram seus personagens individuais. Eles são o que torna a série atrativa.
GamePro: Qual é o seu jogo de Resident Evil favorito?

Kawata: Eu gostei principalmente do primeiro Resident Evil na época, porque você podia usar um verdadeiro lança-mísseis grande pela primeira vez (risos). Além disto, o original tem um final muito sangrento e brutal. Resident Evil 4 também me causou uma impressão permanente, porque é um jogo extremamente bem pensado.
GamePro: O quão difícil é trazer inovação a uma série que já existe há tanto tempo?

Kawata: Em um momento eu sabia que precisava tomar uma decisão e então correr os riscos para ter um novo desafio. Operation Raccoon City não é uma seqüência real à série, e sim um spin-off. Portanto poderíamos arriscar um pouco mais. Esperamos deixar para trás algum tipo de legado no universo de Resident Evil.
GamePro: Como foi que a Capcom contratou a Slant Six para desenvolver o jogo?

Kawata: Havia alguns candidatos em potencial para o trabalho com diferentes tecnologias e especialidades. A decisão pela Slant Six, no entanto, foi flexível o suficiente para preencher nossas expectativas. Além disto, a equipe da Slant Six contém muitos grandes fãs de Resident Evil. Isto meio que finalizou nosso acordo.
GamePro: Você falou sobre correr riscos com este spin-off. Terror de Sobrevivência e Jogos Táticos de Tiro não tem muito a ver. Como você chegou à decisão de levar a série nesta direção?

Kawata: Nós trabalhamos 4 anos no último título da série, Resident Evil 5. Do ponto de vista de um desenvolvedor, projetos muito longos ficam fadados a encontrar grandes restrições. No começo, uma base sólida tem que existir. Durante o processo de desenvolvimento, inclinação a gêneros pode acontecer, mas não podemos reagir a isto ou trabalhou nisto mais. Isto de fato pode ser muito frustrante. Queríamos criar um jogo moderno dentro do universo de Resident Evil, então decidimos escolher o spin-off Operation Raccoon City. Afinal, não é um jogo de terror de sobrevivência, e sim um jogo de tiro legítimo. Queremos guiar a série em uma direção diferente.
GamePro: Resident Evil foi fortemente criticado por muitos fãs porque se afastou demais dos princípios de terror. A mecânica de tiro de ORC ainda terá lugar para o terror?

Kawata: Ainda há alguns elementos de terror em ORC. Mas o terror, no fim das contas, não é o foco principal do jogo. Por causa disto, fãs hardcore da série podem não vê-lo como um verdadeiro título de Resident Evil. Críticas sempre acontecem. Em termos de valor de entretenimento, no entanto, eu estou confiante de que Operation Raccoon City agradará muita gente. Não apenas fãs de RE, mas também fãs de jogos de tiro em geral.
GamePro: O que mudou no terror de Resident Evil desde que os cães pularam por uma janela em uma mansão abandonada em 1996?

Kawata: Não muito, na verdade. Hoje muita coisa depende de onde se passa um jogo, do ambiente onde o jogador está sendo colocado. Isto, é claro, não se aplica aos jogos de Resident Evil, por que a base já é sólida. ORC não será o tipo de jogo onde jogadores terão medo terão medo do que acontece no quintal escuro, eles vão preferir atirar naquele quintal escuro.
GamePro: A principal afirmação do jogo é “Mate Leon Kennedy!”. No caso disto funcionar, isto mandaria a continuidade da série a um nível absurdo.  Como o ORC reescreve estes eventos oficiais de Resident Evil?

Kawata: A trama é baseada em Resident Evil 2 e 3. A história já bem conhecida será ampliada com as novas informações de plano de fundo. O jogador terá o potencial e a missão de matar Leon Kennedy. No final, os acontecimentos em ORC, no entanto, não afetarão a trama principal da franquia.
GamePro: Em ORC, os zumbis atacam principalmente humanos feridos/sangrando. Como este elemento será usado durante o curso do jogo?

Kawata: Em vez de matá-los pelo método convencional, o jogador terá que pensar. Pode ajudar primeiro observar os mortos vivos enquanto eles não tiverem sido descobertos ainda. Aonde eles vão poderá possivelmente haver inimigos humanos. Eu também posso usar os zumbis para meus próprios interesses ferindo inimigos humanos e então deixar os zumbis para os humanos, que neste meio tempo estarão distraídos comigo.
GamePro: Crueldade contra humanos? Somos céticos em relação ao USK concordar com isto.

Kawata: Estamos atualmente trabalhando nisto com nossos advogados. Eles (USK) não criaram um novo sistema? Até GTA IV tem uma classificação.
GamePro: GTA IV teve isto por causa de seu contexto satírico. Recentemente, no entanto, Dead Space 2 teve grandes problemas com isto. O sistema da USK é um pouco obscuro.

Kawata: Eu trabalhei em Resident Evil 5 e Darkside Chronicles e os dois receberam classificação da USK, então com certeza isto também se aplicará ao ORC, já que todas as coisas boas acontecem três vezes! (risos)
GamePro: ORC já será lançado no final deste ano. Há quanto tempo já está em desenvolvimento?

Kawata: Há cerca de um ano.
GamePro: Já que estamos falando de progresso, podemos esperar uma abordagem mais orientada ao terror em Resident Evil 6? Como sabíamos de Resident Evil 4?

Kawata: No momento, eu não posso dizer nada sobre Resident Evil 6. Eu nem sei se está em desenvolvimento. (Toda a sala cheia de funcionários da Capcom começa a rir). Mas, como você sabe, eu também estou trabalhando no Resident Evil: Revelations para o Nintendo 3DS, e este definitivamente focará no terror. Então, no portátil, a série anda no caminho clássico.

Fonte: Rely On Horror

COMPARTILHAR