Tradução: Entrevista com Paul Anderson sobre Resident Evil 5: Retribuição (Gamespot)

0
307

Gamespot: Você jogou algum dos jogos de Resident Evil para o novo filme?
Paul Anderson: Em meu escritório eu estou com Resident Evil 4 e 5 porque estamos nos baseando bastante nestes dois em termos de algumas seqüências de ação, história e de criaturas também. Mas isto não conta como jogar videogame, porque é trabalho. Pode parecer que estou em meu escritório jogando PS3, mas na verdade não estou. Estou trabalhando.

Gamespot: Quais são os desafios de pegar alguém que é tão conhecido pelos jogadores como Leon S. Kennedy e colocá-lo nas telonas em Resident Evil: Retribution?
Paul Anderson: Bem, obviamente é muita pressão por causa disto, e especialmente Leon porque ele tem um visual extremo. Primeiramente, ele é um grande herói. Mas ele também tem um cabelo caído, e vocês não têm idéia do quanto é difícil encontrar alguém assim. Eles geralmente são muito raros. É como se todos os caras de cabelo liso estivessem fazendo filmes britânicos periódicos, como Brideshead Revisited, e os caras que são heróis de ação geralmente têm cabelo curto. Mas acho que depois de uma longa e exaustiva busca, nós finalmente encontramos o cara certo em Johann Urb (2012, The Hottie & The Nottie).

Gamespot: Com “Resident Evil: Retribution” saindo em 14 de Setembro de 2012, haverá algum crossover em potencial com a Capcom na questão de jogos?
Paul Anderson: Fazemos divulgação em parceria quando podemos, mas é muito difícil porque com filmes você fixa uma data e tem que ser naquela data. Isto raramente acontece com jogos. Então a Capcom pode dizer que irão lançar em uma certa data, mas antes que a gente fique sabendo, este dia é adiado ou eles descartam o jogo completamente e começam tudo de novo. Este é o processo para se fazer um bom jogo de videogame. Eles não lançam até estarem prontos. Um bom jogo de videogame leva anos e anos para ser feito, enquanto que se pode fazer um bom filme em 12 meses. Então é difícil planejar uma divulgação em parceria, mas o fato é que os filmes e os jogos, em um sentido mais amplo, têm uma sinergia e uma relação simbiótica, porque eles têm o mesmo título, a mesma marca e o mesmo nome.

Gamespot: O crescimento de conteúdos em DLC, para celular e tablet abriu a possibilidade de criar jogos menores que possam ter ligação com um filme?
Paul Anderson: Está começando a acontecer, mas o tipo de logística de montagem de uma promoção de filme e a promoção de um videogame ao mesmo tempo é complicado. Mesmo em uma companhia como a Sony, onde se acreditaria haver uma maior cooperação entre partes diferentes da grande corporação, ainda é bem difícil. Deixe-me dar um exemplo perfeito disto. Há uma cena no novo filme de Resident Evil em que precisaremos de muitas cenas de plasma no fundo, e você pensa que seriam aparatos da Sony na tela, mas adivinha, não são. Então pense nisso.

Gamespot: Sendo você um jogador, o que você acha que os jogadores mais devem esperar em Retribution e como você está criando isto?
Paul Anderson: Vamos usar o parasita Las Plagas, que foi mostrado em Resident Evil 4. Eu adoro porque me dão a oportunidade de ter criaturas mortas vivas que podem basicamente fazer coisas novas legais. E nós também observamos como isto se sucedeu em Resident Evil 5. Isto me dá a oportunidade de usar criaturas mortas vivas que possam pilotar motocicletas e atirar com metralhadoras ao mesmo tempo, o que definitivamente é uma novidade. No mundo dos mortos vivos não tem ninguém fazendo isto, só eu.

Gamespot: Como o novo filme de Resident Evil se diferenciará dos outros?
Paul Anderson: Uma das coisas que tentamos fazer com os filmes é progredir a franquia e fazer cada filme ser empolgante e novo mais uma vez. Eu realmente sinto que estas criaturas tiradas direto dos jogos nos dão a oportunidade de fazer isto. Em Resident Evil 5 há uma cena incrível, uma de minhas favoritas, onde estão dirigindo um jipe pelo deserto enquanto utilizam metralhadoras contra um monte de criaturas que os estão perseguindo em motos e atirando com metralhadoras. Isto é intrinsecamente Resident Evil porque saiu direto dos jogos, mas também é algo novo que nunca se viu antes. Acho que todos podem ficar empolgados com isto, sendo um jogador ou não.

Gamespot: Como o seu trabalho no filme Os Três Mosqueteiros abriu as portas para você neste novo filme de Resident Evil no que concerne ao 3D?
Paul Anderson: Mosqueteiros foi primeiramente um filme de um local só, e novamente foi uma boa experiência no local, então isto vai me ajudar a aprimorar ainda mais o 3D com Resident Evil. Eu fiz deste filme uma verdadeira aventura pelo mundo. Vamos a Moscou. Vamos a Tóquio. Vamos a alguns locais com neve no Norte da Rússia. Vamos à Times Square para filmar. É um filme que circula o mundo, e está levando câmeras 3D para o mundo real mais do que nunca.

Gamespot: Eu vi que Rain Ocampo está de volta neste filme.
Paul Anderson: Sim. Michelle (Rodriguez) está de volta.

Gamespot: Como isto irá acontecer, já que ela morreu no primeiro filme?
Paul Anderson: Eu não posso contar. É uma das graças do filme, eu acho. Mas ela está de volta. Colin Salmon, que era o líder da equipe da Umbrella no primeiro Resident Evil, está de volta também. Oded Fehr, que morreu no terceiro, Resident Evil: Extinction, está de volta. Acabamos de ter a leitura em conjunto em Toronto com todos os atores, e foi muito divertido ter todos estes rostos e vozes familiares no filme. Acho que vai ser uma verdadeira loucura, e acho que será realmente empolgante.

Fonte: Gamespot