Glossário Especial | Vírus e Parasitas

0
3673

Glossário de Vírus e Parasitas

Resident Evil já é uma série complexa, e a quantidade de vírus e parasitas que ela aborda complica ainda mais as coisas. Nosso objetivo com esta seção especial, portanto, é facilitar o seu entendimento acerta de todos os patógenos utilizados na franquia. Para isto, não apenas explicamos um pouco sobre cada um, com suas variantes e antígenos (curas), como também colocamos em diagramas de fácil compreensão.

Índice:


1. Progenitor Virus:

*Também conhecido como Mother e Founder Virus.
Descobridores: Lorde Ozwell E. Spencer, Dr. James Marcus e Sir Edward Ashford.
Data de Descoberta: 1966.
Base: Através de extração e pesquisa de uma planta chamada “Escadaria para o Sol” (Stairway To The Sun) que cresce em território subterrâneo em terras africanas.
Utilização: T-Virus, G-Virus, T-Veronica, Uroboros Virus, Wesker Children, C-Virus.

Variantes:
→ 1.1 – Tipo A: Administrado em Jessica Trevor sem sucesso.
→ 1.2 – Tipo B: Administrado em Lisa Trevor durante anos, como cobaia experimental.
→ 1.3 – PG67A/W: Soro retirado do Progenitor puro, utilizado por Albert Wesker com quantidade apropriada para seu corpo, para manter o vírus em seu corpo estável. Caso seja injetado em dose maior ou menor, pode agir como um veneno em seu organismo.
→ 1.4 – P30: Substância presente no Progenitor e encontrada durante sua pesquisa. Funciona como otimizador de desempenho, mas seu efeito tem pouca duração. Para duração permanente, deve ser administrado continuamente na cobaia.


2. T-Virus:

Desenvolvedores: Dr. James Marcus (criador) e William Birkin.
Data de Descoberta: 13 de Janeiro de 1978.
Base: Vírus Progenitor combinado com DNA de sanguessugas.
Utilização: G-Virus e TG-Virus.

Variantes:
→ 2.1 – V-ACT : T-Virus + zumbi morto = Crimson Head.
*Observação: T-Virus + zumbi vivo = transforma-se em Licker.

Antígenos:
→ Vaccine: estava sendo pesquisado no Hospital de Raccoon.
→ Daylight (P-Base + V-Poison + T-Blood): estava sendo pesquisado na Universidade de Raccoon. O composto é a mistura de uma base com veneno de abelha e sangue de uma criatura contaminada com o T-Virus.

T-Virus


3. G-Virus:

Desenvolvedor: William Birkin.
Data de Descoberta: 1988.
Base: T-Virus administrado em Lisa Trevor durante anos e suas constantes mutações, após absorção total do parasita Nemesis em seu organismo.
Utilização: TG-Virus e C-Virus.
Antígeno: G-Vaccine (Codinome “DEVIL”).

G-Virus


4. T-Veronica:

Desenvolvedora: Alexia Ashford.
Data de Descoberta: 1982.
Base: Vírus Progenitor combinado com o DNA de uma formiga rainha. A cobaia deve ser mantida em sono criogênico durante anos para que o vírus e o organismo entrem em simbiose total.
Utilização: C-Virus.

T-Veronica Virus


5. TG-Virus:

Desenvolvedor: Umbrella de Paris
Data de Descoberta: Desconhecida.
Base: T-Virus combinado com G-Virus.
Utilização: Não serviu de base para outros vírus.

TG-Virus


6. Parasita Las Plagas:

Descobridor: Primeiro Castelão de uma vila remota na Espanha.
Data de Descoberta: Em meados do século 18, talvez.
Base: Fósseis encontrados durante tempos de escavações nas minas locais.
Utilização: Plagas Tipo-2 e Tipo-3.

Variantes:
→ 6.1 – Plaga Subordinada: Ovo de plaga comum injetada na corrente sanguínea do indivíduo, para que ecloda e tome o controle de seu sistema nervoso.
→ 6.2 – Plaga Controle: O indivíduo que a possui pode controlar os que possuem a Plaga Subordinada.
→ 6.3 – Plaga Tipo-2: Plaga madura injetada oralmente no indivíduo, leva menos tempo para tomar o sistema nervoso completamente.
→ 6.4 – Plaga Tipo-3: Combinação de plaga comum com gene da Plaga Controle.

Las Plagas


7. Uroboros Virus:

Desenvolvedor: Albert Wesker, Tricell.
Data de Desenvolvimento: provavelmente 2008.
Base: Progenitor Virus combinado com anticorpos de T-Virus (retirados do corpo de Jill Valentine) para diminuição dos efeitos nocivos do Progenitor.
Utilização: Não serviu de base para outros vírus.

Uroboros Virus


8. T-Abyss Virus:

Desenvolvedor: “Montpellier Marine Science University” (The Abyss), Consórcio Farmacêutico Global e FBC (T-Abyss).
Data de Descoberta: Desconhecida.
Base: T-Virus combinado ao vírus “The Abyss” (O Abismo), descoberto em um peixe de alto-mar, durante a 4ª investigação em alto-mar na profunda Fossa de Kermadec.
Utilização: Não serviu de base para outros vírus.

T-Abyss Virus


9. C-Virus:

Desenvolvedora: Carla Radames.
Data de Descoberta: 2001.
Base: Vírus Progenitor combinado com T-Veronica, criando a variante T-02, que posteriormente foi combinada com o G-Virus.
Utilização: Não serviu de base para outros vírus.

Variantes:
→ 9.1 – C-Virus Aprimorado: C-Virus combinado com o sangue de Jake Muller, composto de poderosos anticorpos que eliminam o “estágio crisálida” do hospedeiro.

Antígenos:
→ Anti-C (ou C-Virus Vaccine): Criado a partir do sangue de Jake Muller. É efetiva somente se administrada em pessoas que ainda não foram infectadas com o C-Virus.

diagramas 09cvirus


10. T-Phobos:

Desenvolvedor: Alex Wesker (e equipe de pesquisadores).
Data de Descoberta: Entre 2006 e 2008 (não confirmado); desenvolvimento entre 2008 e 2010.
Base: T-Virus modificado que responde à liberação de adrenalina e noradrenalina no organismo no hospedeiro.
Utilização: Não serviu de base para outros vírus.

T-Phobos


11. Mutamiceto Série E:

Desenvolvedores: Conexões (The Connections) e HCF (assistência técnica)
Data da Descoberta: 2000 (início das pesquisas)
Base: Desconhecida.
Utilização: “Mofados” (superorganismos tomados pelo mutamiceto)

Antígenos:
→ Soro: Desenvolvido a partir de células do nervo craniano e do nervo periférico de indivíduo/cobaia da série D; quando aplicado em cobaias infectadas, provoca a calcificação dos micélios e, dependendo do estágio da infecção, pode ser fatal, em vez de curar.
→ E-Necrotoxina: Forma “maximizada” do soro; quando combinada com amostras de células do indivíduo série E, provoca a calcificação fatal nos infectores (no caso, Eveline). É utilizada para o descarte de ativos (indivíduos/cobaias) da série E.

COMPARTILHAR