Personagens | Jill Valentine

Ano de nascimento: 1974
Tipo sanguíneo: B
Altura: 1,72m
Peso: 56kg

Aparições em títulos da série:

Biohazard / Resident Evil Clássico (1996)
Biohazard 3: Last Escape / Resident Evil 3: Nemesis (1999)
Biohazard / Resident Evil Remake (2002)
Biohazard / Resident Evil: Deadly Silence (2006)
Biohazard / Resident Evil: The Umbrella Chronicles (2007)
Biohazard / Resident Evil 5 (2009)
Biohazard / Resident Evil: The Mercenaries 3D (2011)
Biohazard / Resident Evil: Revelations (2012)
Biohazard / Resident Evil: Operation Raccoon City (2012)


Biografia e Participação na Série:

Jill Valentine iniciou na série como protagonista ao lado de Chris Redfield no primeiro game, lançado em 1996. Os acontecimentos bizarros nos arredores da cidade americana de Raccoon foram o plano de fundo para o surgimento da personagem que se tornaria se não a favorita, uma das queridinhas dos fãs de todas as gerações, sem mencionar Jill também como sendo a “menina dos olhos” do criador da franquia, Shinji Mikami.

Em 1998, a jovem de 23 anos era a especialista em aparatos explosivos da divisão especial de polícia chamada S.T.A.R.S. [Equipe de Resgates e Táticas Especiais], uma espécie de SWAT pertencente ao Departamento de Polícia de Raccoon. Sua enorme habilidade com o arrombamento de fechaduras a deu o título já também famoso entre os fãs de “Master Of Unlocking”, ou numa tradução rápida, “Mestre do Destrancamento”. Apesar de ser a única mulher entre o grupo, ela é extremamente independente e destemida, mas seu lado mais feminino, meigo e acolhedor faz com que as pessoas ao seu redor criem um vínculo forte e uma necessidade de protegê-la.

Na ocasião dos assassinatos misteriosos em Raccoon, Jill e sua equipe, Alpha, foram enviados à floresta da cidade para resgatar a equipe Bravo (composta por Enrico Marini, Rebecca Chambers, Richard Aiken, Forest Speyer, Kenneth J. Sullivan, Edward Dewey e o piloto Kevin Dooley), que havia sido enviada primeiro para fazer as investigações necessárias, mas tiveram problemas no motor do helicóptero e foram forçados a fazer um pouso de emergência. O que a equipe Alpha (composta pelo líder Albert Wesker, Joseph Frost, Barry Burton, Chris e ela, além do piloto Brad Vickers) encontrou, no entanto, foi uma conspiração encoberta por uma belíssima propriedade de veraneio no meio da mata: um laboratório que servia de fachada para que a empresa farmacêutica Umbrella Inc. pudesse fazer pesquisas ilegais com armas biológicas longe do conhecimento do público. É aí que ela descobre que Wesker só está nos S.T.A.R.S. como informante da companhia. Sendo uma das sobreviventes ao caso da Mansão, ela e seus companheiros viram motivo de risos por parte da polícia local e da população da cidade, que não consegue acreditar em uma história tão absurda envolvendo zumbis, armas biológicas, criaturas mortais e principalmente no fato da Umbrella ser a responsável por tudo isso. Chris Redfield, seu colega de equipe, deixa tudo para trás e segue no encalço de pistas que possam finalmente incriminar a Umbrella, seguindo para a Europa, enquanto Jill permanece na cidade e prossegue com a investigação.

O que a jovem não podia imaginar é que mais uma vez o pesadelo com zumbis voltaria para assombrá-la, e que ela viraria alvo de uma criatura cujo único objetivo é o de eliminar os S.T.A.R.S. sobreviventes para que nunca viessem novamente a público e não pudessem continuar com as investigações contra a empresa. A Umbrella envia Nemesis, sua mais avançada arma biológica, para caçar Jill no meio de uma Raccoon totalmente devastada e em quarentena, cuja população toda fora contaminada e virara um exército de mortos vivos perambulando sem rumo. Ela se une a Carlos Oliveira, membro da equipe de emergência para casos de desastres biológicos da Umbrella, a U.B.C.S., para encontrar uma rota de fuga da cidade dos mortos. Mesmo depois de ser infectada e curada por uma vacina preparada por Carlos, além de ser quase morta pelo membro da U.B.C.S., Nicholai Ginovaef que tinha o objetivo de sair sozinho da cidade e receber uma recompensa da Umbrella, Jill consegue sair ilesa da cidade, que segundos depois é dizimada por um míssil enviado pelo governo para varrer Raccoon do mapa e conter a infecção. Ela segue ao encontro de Chris na Europa, e os dois criam forças definitivamente contra a Umbrella, para que outras cidades não tenham o mesmo destino de Raccoon City.

Alguns anos depois, em 2003, vem o desfecho desta batalha épica por justiça. Jill e Chris se unem a uma organização regional de contenção do perigo biológico, e os rumores de uma produção de armas biológicas em massa os guiam para a região do Cáucaso, na Rússia, em uma das últimas instalações da Umbrella no mundo, cuja fachada é uma usina química da época da União Soviética, gerenciada por um alto executivo da Umbrella, Sergei Vladimir. Os rumores se mostram verdadeiros e Chris e Jill enfrentam inúmeras criações bizarras da Umbrella, entre elas a mais nova arma biológica, T.A.L.O.S., controlada pelo sistema de segurança com inteligência artificial, Red Queen. Ao derrotá-lo, eles finalmente apreendem o local e coletam as provas necessárias para acabar com a empresa de uma vez por todas, colocando a polícia mundial no encalço de Ozwell E. Spencer, o criador da Umbrella.

Jill, então, se tornou um dos onze membros originais na fundação de uma nova força antiterrorista, a B.S.A.A. (Biohazard Security Assessment Aliance), a “Aliança de Avaliação e Segurança de Perigo Biológico”, onde continuou a combater o bioterrorismo e a venda de armas biológicas no mercado negro. Porém, Spencer, o homem verdadeiramente responsável por tantas mortes em Raccoon, ainda estava vivo.

No ano de 2005, Jill e Chris se envolvem em uma trama elaborada por seu superior, Clive R. O’Brian, e por Raymond Vester, para desmascarar Morgan Lansdale, o presidente da FBC, Comissão Federal contra o Bioterrorismo. Morgan estava secretamente envolvido na destruição da cidade de Terragrigia, vítima de um atentado bioterrorista no ano anterior. Jill e seu parceiro de missão na época, Parker Luciani, seguem a um cruzeiro abandonado chamado Queen Zenobia, em meio ao Mar Mediterrâneo, seguindo as últimas coordenadas de Chris Redfield e de sua parceira Jessica Sherawat, que haviam desaparecido misteriosamente enquanto investigavam a organização terrorista “Il Veltro” em uma região montanhosa. Eles descobrem que os navios Zenobia, Semiramis e Dido, em meio ao Mar Mediterrâneo, eram bases da Veltro. Era no Queen Zenobia que o vírus T-Abyss era testado, e novas armas biológicas eram desenvolvidas a partir dele. Morgan era o financiador das pesquisas mantidas pela Veltro, ele fora o responsável pelo ataque a Terragrigia e ordenara a destruição da cidade com o satélite Regia Solis, com o intuito de mostrar ao mundo o quanto o bioterrorismo deveria ser levado mais a sério e, com isto, conseguir com que a influência e poder da FBC fossem aumentados exponencialmente. Ele revela seus planos a Jill e Chris através de um monitor no laboratório secreto do Queen Zenobia, acreditando que os policiais não conseguiriam sair vivos de lá, mas os dois não apenas deixam o Queen Zenobia antes de sua destruição, como seguem as pistas que os levam ao Queen Dido, navio onde se encontra Jack Norman, líder da Veltro, que também havia sido enganado por Lansdale. No momento em que os dois encontram Norman, ele havia gravado um vídeo, contando tudo o que acontecera e o envolvimento de Morgan, e se infectado com o T-Abyss, sofrendo uma mutação pouco depois. Jill e Chris o derrotam e levam as evidências que incriminam Lansdale a público. A FBC é, então, encerrada, e todos os seus fundos são transferidos para a ampliação da BSAA.

Em 2006, ao receber informações do paradeiro dele, Jill e Chris seguem até o castelo onde supostamente o homem já de idade estaria, para que fosse preso e levado a júri popular para ser julgado pelos crimes cometidos. O que encontraram no castelo foi o cadáver do fundador da Umbrella no chão e o arquiinimigo deles, Albert Wesker. Em um confronto com Wesker, quando Chris está prestes a ter o mesmo destino do velho Spencer, Jill se lançou contra Wesker para que ele soltasse seu companheiro, e ambos caíram pela janela do castelo, direto para um abismo. Por muito tempo, o corpo de Jill foi procurado em vão pela área e os arredores, mas nem o cadáver e nem seus pertences pessoais foram encontrados. Sendo assim, ela foi declarada morta oficialmente no dia 23 de Novembro daquele ano, com honras pelos serviços prestados a B.S.A.A. no combate ao terrorismo biológico.

A razão para que nem os pertences e nem o corpo de Jill fossem encontrados nas buscas policiais era um segredo do qual apenas Wesker tinha conhecimento: depois da queda, ambos sobreviveram, e Jill teve seus ferimentos tratados por Wesker. Depois de recuperada fisicamente, ela seria usada como cobaia para um novo projeto, o Plano Uroboros. Ela foi, então, colocada em um coma induzido, e devido a este coma, a coloração dos cabelos de Jill passou de um tom escuro a um loiro bem claro. Mas os resquícios do vírus que recebera de Nemesis em sua luta por fugir de Raccoon fizeram com que ela despertasse e Wesker tivesse outros planos para ela. Ao ser curada por Carlos com uma vacina, o T-Virus no corpo de Jill entrou em um estado de dormência e foi reativado durante o coma, desaparecendo completamente em seguida e dando origem a anticorpos poderosos contra o vírus.

Wesker usou estes anticorpos a seu favor na criação do vírus Uroboros, criando um soro que diminuiria os efeitos venenosos do vírus, podendo, então, usá-lo em humanos e diminuindo o risco de mortes. Após aperfeiçoamento do Uroboros com os anticorpos de Jill, ela já não tinha a mesma utilidade de antes, mas ainda poderia servir para alguma coisa. Com a administração contínua de uma substância chamada P30, descoberta durante as pesquisas do Progenitor, Jill desenvolveu poderes sobre-humanos e se tornou uma serva de Wesker, Ricardo Irving e Excella Gionne, sendo os dois últimos membros da companhia farmacêutica Tricell, que também tinha participação no Plano Uroboros.

O reencontro entre Jill e Chris veio com a ida de Chris a Kijuju, na África, em 2008. Ao ver uma imagem de Jill em um palmtop do traficante Irving, ele decide descobrir o que realmente aconteceu com ela e do que se tratava aquela imagem. Wesker revela Jill a Chris, e sendo ordenada pelo vilão megalomaníaco, ela confronta Chris e Sheva Alomar. Depois de uma árdua batalha, Chris consegue arrancar o controlador preso ao peito de Jill, que injetava doses contínuas do P30 em seu organismo. Livre de sua servidão, Jill foge com Chris, Sheva e Josh Stone em um helicóptero, após um último confronto da dupla com Wesker.

Desde então, Jill vem sendo submetida a testes laboratoriais na BSAA para averiguar se sua saúde está ok, se há traços virais perigosos em seu corpo ou se ela ainda é apta a lutar no campo de batalha, mesmo após ter sido mantida como cobaia pela Tricell. Por esta razão, ela não se envolveu mais em operações anti-bioterroristas.


Jill em Outros Games da Capcom

“Pocket Fighter” (1998)
“Marvel Vs. Capcom 2” (2002)
“Under the Skin” (2004)
“SNK Vs. Capcom Card Fighters DS” (2006)
“We Love Golf!” (2008)
“Marvel Vs. Capcom 2: Episode 3” (2009)
“Marvel Vs. Capcom 3: Fate of Two Worlds” (2010)


The Umbrella Conspiracy

O livro “The Umbrella Conspiracy”, escrito por S.D. Perry, é uma espécie de novelização do primeiro game da série protagonizado por Jill. No início da história, é mencionado o seu passado, onde ela teria vivido com seu pai chamado Dick Valentine, um ex-ladrão de bancos, que fora julgado e condenado a uma pena de anos de reclusão. Jill teria aprendido o “dom” do arrombamento de fechaduras com ele, e seguiria os passos do pai como foi treinada para isso, se não fosse pelo pedido do mesmo para que mudasse de vida e encontrasse um emprego digno, pois, nas palavras dele, “um Valentine na cadeia já era demais”. Com as habilidades que tinha, foi facilmente aceita a ingressar nos S.T.A.R.S., passando a lutar pela lei e pela justiça. Isso teria deixado seu pai encarcerado imensamente feliz e orgulhoso dela. Ainda durante a trama, os ensinamentos de Dick a ajudam a resolver muitos enigmas da mansão, como o da ordem dos quadros na galeria. Este plano de fundo do passado de Jill nunca havia sido confirmado pela Capcom em games ou livros oficiais, até que, no site europeu do relançamento do primeiro game para o Nintendo DS, o “Resident Evil: Deadly Silence”, o nome de Dick Valentine foi mencionado em sua minibiografia. Como o site pode ser terceirizado e os autores podem ter se baseado nos fatos da novelização, que não é canônica, esta versão do passado de Jill ainda não foi oficializada e sua veracidade continua uma incógnita aos fãs.