Livro Traduzido | Resident Evil Archives Vol. II

PALAVRAS-CHAVE | VÍRUS UROBOROS

O DESENVOLVIMENTO DO VÍRUS UROBOROS

Excella Gionne era a diretora administrativa da Filial Africana da Tricell. Ela era um gênio, abençoada com a perspicácia para os negócios, herdada de uma grande família de comerciantes, e a formação na universidade em engenharia genética. Seu aguçado intelecto garantiu sua entrada para a divisão farmacêutica da Tricell aos 18 anos de idade, onde seus incríveis talentos foram notados por Wesker.

Wesker contatou Excella e lhe ofereceu os dados que havia roubado da Umbrella – a respeito do T-Virus, G-Virus e T-Veronica – os quais ela então explorou para criar produtos melhores para a Tricell. As contribuições de Excella aceleraram grandemente o desenvolvimento de B.O.W., e a indústria de armas biológicas da divisão farmacêutica logo começou a prosperar. Excella fez nome próprio na companhia, e foi nomeada diretora da filial africana com apenas 20 anos de idade.

Estava claro que Wesker deu a Excella os dados na esperança de que pudesse usar a Tricell para aperfeiçoar o Vírus Uroboros que ele estava pesquisando. Primeiramente, ele usou a influência de Excella para reabrir o Centro de Pesquisas da Umbrella na África, para o estudo do Vírus Progenitor. Excella estava atraída por Wesker e, auspiciosamente, fez tudo o que ele queria. Ela utilizou até as vendas de B.O.W. no mercado negro de Irving para financiar a sua pesquisa.

A primeira forma do Vírus Uroboros que derivava das Flores do Progenitor era muito tóxica para ser usada. Com isto, o desenvolvimento seguiu mais devagar do que o esperado, mas em 2006, as mudanças observadas na “Cobaia de Testes 1” marcaram um avanço no experimento. Poderosos anticorpos no corpo da cobaia se provaram capazes de enfraquecer a toxicidade problemática do vírus. Estes anticorpos foram criados como resultado de uma antiga infecção do T-Virus na cobaia, que permanecera no corpo em um estado alterado por anos após não ter sido destruído com uma vacina.

A verdadeira identidade da Cobaia de Testes 1 era a da ex-membro dos S.T.A.R.S., Jill Valentine. Acreditavam que ela havia morrido durante a missão de 2006 de apreensão de Spencer, mas, em vez disto, ela foi salva por Wesker, que a colocou em um sono criogênico para usá-la como cobaia em seus experimentos. O fato de seu corpo produzir anticorpos virais puros conseguir enfraquecer perfeitamente o Vírus Progenitor não era nada milagroso.

Wesker estava extasiado de estar um passo mais perto da realização de seus ideais. Agora, tudo o que ele tinha que fazer era executar os estágios finais do “Plano Uroboros”. O primeiro passo, é claro, era se livrar de Excella injetando nela o Vírus Uroboros.

PROPRIEDADES DO VÍRUS UROBOROS

O Vírus Uroboros é o vírus perfeito, livre dos problemas – mutação excessiva, perda das faculdades mentais, instabilidade – que atrapalhavam seus antecessores. Após injeção, o vírus avalia os genes do indivíduo. Se o indivíduo for compatível, ele lhe concede habilidades super humanas completamente sob o controle do indivíduo. Porém, se ele não for compatível, o Vírus Uroboros dominará, transformando o indivíduo rapidamente em uma massa sem consciência e violenta de negros tentáculos famintos.

Quando fora de controle, o Vírus Uroboros busca consumir todo material orgânico na área para se propagar, incluindo o organismo original injetado. Passando por um ciclo contínuo de morte e renovação, ele ataca indiscriminadamente qualquer matéria orgânica ao seu alcance.

A forma bizarra do vírus fora de controle é por causa dos cistos virais em formato de sanguessugas que caracterizam o vírus. Estes cistos se formam de órgãos dentro do corpo, e depois emergem violentamente pela pele. Cada cisto possui sua própria inteligência primária, e são capazes de sentir e consumir matéria orgânica ao seu redor para se reproduzirem. Cistos virais individuais são fáceis de matar, mas o aglomerado central continuará persistentemente se alimentando e crescendo até ser morto.

Devido a estas propriedades do vírus, muito cuidado foi tomado para regular a quantidade as ser injetada, baseada na massa do indivíduo: uma pessoa de 60 kg recebe uma ampola; uma pessoa de 40-60 kg, 2/3 da ampola; etc. Qualquer erro mínimo na dosagem resultaria em uma alta probabilidade da morte do indivíduo. Até mesmo uma dosagem apropriada causaria severos sintomas, como sudorese excessiva, respiração pesada e desorientação nos estágios iniciais.

Livrar-se de um aglomerado de Uroboros é difícil. Uma chama de alta temperatura é necessária para danificá-la, já que armamento comum mostrou não ser efetivo. Entretanto, isto só funciona no caso de aglomerados abaixo de um determinado tamanho. No caso de encontrar um aglomerado gigantesco, Wesker preparou um satélite de ataque capaz de disparar um laser altamente poderoso na Terra. O satélite, Shango, recebe os dados do alvo através da transmissão de um aparelho em uma espécie de lança-foguetes, conhecido como L.T.D., com precisão de até alguns centímetros. O satélite exige tempo entre os disparos, o que significa que o usuário precisa manter a mira no alvo até chegar a hora de atirar.

OTIMIZADOR DE DESEMPENHO P30

O P30 foi uma substância química auxiliar descoberta durante a pesquisa no Vírus Progenitor. Ele deixa o indivíduo altamente suscetível ao controle, enquanto também lhes concede habilidades super humanas. Apesar de totalmente consciente, o indivíduo tem seu livre arbítrio completamente usurpado, forçando-os a agir como um soldado leal. Um estímulo nos nervos combinado com um crescimento dos tecidos musculares garante ao indivíduo incríveis reflexos e também o torna capaz de proezas espetaculares, como correr em paredes.

A compulsão do indivíduo em seguir ordens lembra a de uma pessoa infectada com uma Plaga subordinada, mas há dois pontos fracos. Primeiramente, o efeito só permanece por um curto período de tempo após ser administrado, o que o torna inapropriado para a criação de um soldado leal. Além disto, enquanto uma Plaga é quase impossível de se remover depois que o parasita atinge a maturidade, o P30 metaboliza rapidamente e pode ser descarregado do corpo quase sem efeitos colaterais.

Wesker decidiu utilizar Jill como cobaia para o P30, e anexou um dispositivo em seu peito para administração de uma dose quase constante da substância. Seu plano era o de ver por quanto tempo podia ser administrado sem reações adversas ao corpo, e por quanto tempo o controle mental podia ser mantido. Porém, o dispositivo acabou sendo removido por Chris, e o experimento terminou antes que dados úteis pudessem ter sido obtidos.