Livro Traduzido | Resident Evil Archives

RESIDENT EVIL 3

Início de outono.

Setembro chegava em Raccoon City.

As pessoas seguiam com suas vidas cotidianas e enterravam as lembranças dos incidentes bizarros que ocorreram nas Montanhas Arklay, e a destruição das Forças Especiais dos S.T.A.R.S..

Ninguém acreditou no que os sobreviventes tinham a dizer.

Ninguém acreditou na verdade sobre o complexo de armas biológicas secreto da Umbrella na mansão, ou sobre o terrível T-Virus que transformava humanos e animais em monstros horríveis.

Chris, que sobrevivera ao incidente da mansão, viaja para a Europa para desmascarar o mal. Isto marcou o começo de outro desastre em Raccoon City. Estranhos assassinatos ocorriam pela cidade, e a epidemia do T-Virus estava se espalhando. Jill, que havia ficado na cidade para investigar, tinha que escapar com vida.

Porém, um Caçador liberado pela Umbrella incessantemente perseguia Jill…


HISTÓRIA

O Começo do Fim

Era tarde demais. Os antigos cidadãos da cidade estavam agora vagando sem consciência pelas ruas, procurando por sangue e carne, sem sequer saber por que eles estavam fazendo aquilo. A cidade de Raccoon, que agora havia se tornado apenas um pedaço de propriedade do bolso da Umbrella, estava aguardando um destino da qual não havia fuga. Jill Valentine se encontrava arrependida. O vírus que agora estava se espalhando por Raccoon devia ter vindo de um complexo subterrâneo secreto de pesquisas da Umbrella, onde Jill vinha conduzindo uma investigação particular há um tempo.

Agora havia chegado a este ponto, não havia outra escolha senão deixar a cidade o mais rápido possível e seguir para a Europa para se encontrar com Chris Redfield e os outros membros dos S.T.A.R.S.. Armada com sua arma, a edição especial da Samurai Edge dos S.T.A.R.S., ela seguiu para os arredores da cidade.

Ela odiava admitir, mas agora a única esperança que tinha era sair de lá viva.

Seu Salvador de Outrora

Mais tarde, a noite de gritos e caos deu espaço à luz do dia. O tiro esporádico a alertou da presença de outros sobreviventes.

Ao achar um depósito na parte residencial da cidade e correr até ela para usá-la como abrigo temporário, Jill encontrou outro sobrevivente com a mesma idéia, com o nome de Dario Rosso. Jill o alertou para se apressar e deixar a cidade, mas ele estava histérico e não conseguia se mexer. Ele testemunhara suaz própria filha sendo comida viva por zumbis. Mas mesmo se os dois ficassem ali, estariam perdendo tempo precioso. Deixando Rosso escondido lá, Jill saiu. Se eu for até a delegacia, ela pensou, vou poder encontrar armamento decente. Talvez eu possa até encontrar alguns sobreviventes da força policial que saiba usá-las.

No caminho, ela teve um inesperado encontro com outro membro dos S.T.A.R.S., Brad Vickers, em um bar chamado Jack. Não tão corajoso quando Chris, porém ele ajudou a salvá-los do inferno em Arklay. Não importa o quanto se tentasse ignorar isto, Jill lhe devia a vida. Mas algo havia deixado Brad tão assustado que ele acabou fugindo do bar sem sequer ouvir o que Jill tinha a dizer.

“Eu nunca deveria ter entrado para os S.T.A.R.S.!”

O Perseguidor de Vestes Pretas

Ao entrar na delegacia de polícia pelo portão da frente, Jill se surpreendeu com o quanto aquilo estava estranhamente quieto. Talvez seja melhor desistir da esperança de encontrar quaisquer sobreviventes aqui…

Naquele momento, Brad entrou correndo pelo portão da frente atrás dela.

“Jill… Jill, me ajude!”

Atrás de Brad, um monstro gigante vestindo uma longa capa preta apareceu. O gigante pegou Brad com uma única mão e enfiou um tentáculo incrivelmente afiado em seu rosto. A criatura a fazia se lembrar de uma horrenda arma humanóide que ela e Chris haviam visto dois meses antes durante o Incidente da Mansão: Tyrant. E além dos urros normais, a coisa também gritava o nome “S.T.A.R.S.”.

Ver o cadáver de Brad, que havia sido jogado para o lado como um boneco, Jill se encheu de ódio. Mas uma ponta de calma restante as informou de que este não era um oponente que ela pudesse combater com as armas que tinha no momento. Por enquanto, Jill tinha que escapar correndo para dentro da delegacia de polícia e fechando a porta atrás dela… mas a persistente perseguição da estranha criadora havia apenas começado.

A Delegacia de Polícia

Não havia ninguém dentro da delegacia além de zumbis comedores de carne que um dia haviam sido seus amigos e colegas…

Ao pegar seu fiel grampo de abrir fechaduras no escritório dos S.T.A.R.S. no segundo andar, ela o usou para achar um lançador de granadas em um dos armários. Justo quando estava prestes a deixar o escritório, ela ouviu um rádio de polícia em uma mesa próxima. A voz do outro lado pertencia a um homem chamado Carlos que estava procurando ajuda. Então ainda havia sobreviventes em algum lugar da cidade… Jill interiormente xingou o rádio quebrado e sua impossibilidade de responder seu chamado.

Assim que desceu as escadas, alguma coisa saltou de uma janela e invadiu a delegacia. Era o perseguir de roupa preta, empunhando um grande lança-mísseis. Então ele tem inteligência até para lidar com armas… Não posso me permitir morrer ainda. Jill rapidamente deixou a delegacia para trás.

Contato com um Sobrevivente

Ao chegar no centro da cidade, ela ouviu o disparo de uma pequena pistola automática por perto. Não havia dúvida de que era outro sobrevivente lutando por sua vida. Ela seguiu os sons até um restaurante próximo, mas ao entrar, não encontrou sequer rastro de alguém vivo. Em uma das mesas fora havia um panfleto contendo comentários escritos pelo prefeito da cidade de Raccoon. Nem mesmo um bebê confiaria nas palavras de um político baixo que vendeu sua própria alma para uma corporação como a Umbrella.

Ela ouviu um ruído atrás dela. Ao se virar, ela viu um jovem soldado vestindo um uniforme militar que ela não reconheceu. Assim que o soldado começou a falar com Jill, ambos ouviram o barulho de um urro perturbador ali perto. Sempre persistente, o perseguidor de roupas pretas aparecera mais uma vez atrás de Jill.

Jill e o soldado escaparam para o subsolo, mas imediatamente os canos começaram a estourar e a água começou a inundar o subsolo. Daquela forma eles iriam se afogar. Ao ver um duto de ventilação na parede, Jill e o soldado trabalharam juntos e ambos conseguiram fugir de morrerem afogados.

U.B.C.S.

O nome do soldado era Carlos Oliveira. Ele explicou que era um mercenário, contrato para participar do Serviço de Contenção Biológica da Umbrella. Ele contou a Jill que sua tarefa era ajudar a resgatar os cidadãos de Raccoon, mas Jill, que havia visto a verdade identidade horrenda da Umbrella revelada durante o Incidente da Mansão há dois meses atrás, pensou que isto soava conveniente demais para ser verdade.

Mas então, Carlos fez uma sugestão inesperada. “Se queremos sair vivos desta cidade,” disse ele, “deveríamos nos unir em nossa fuga. Se você concordar, vá até o bonde da Prefeitura”. Após dizer isto, ele se foi sem dizer nenhuma outra palavra.

Jill ainda não tinha certeza do quanto podia confiar neste mercenário ou em sua sugestão. Mas depois de pensar rapidamente, ela sentiu que poderia não ser uma má idéia se juntar a ele, considerando que conseguira fugir do porão inundado com a ajuda dele.

Os Mercenários

Dentro do bondinho havia um homem com um grande ferimento que parecia estar bem dolorido em seu estômago. Ele era o líder da U.B.C.S., Mikhail Victor. Ele claramente havia combatido em muitas batalhas difíceis para chegar àquele ponto. O ferimento era profundo, contudo, e não havia como administrar primeiros socorros com os materiais que eles tinham em mãos. Mas apesar disto, parecia que a grande fonte de dor de Victor não era o ferimento, mas o fato de que não pôde proteger sua equipe.

Carlos e outro membro da equipe U.B.C.S., Nicholai Ginovaef, estavam no vagão da frente. Ao ouvir que Jill era um membro dos S.T.A.R.S., Nicholai imediatamente expressou relutância em cooperar com ela. Mas eventualmente, ele concordou em ajudar a participar de um plano para fugir da cidade naquele bondinho.

Momentos Finais de Nicholai

Jill seguiu para um posto de gasolina nos arredores para procurar alguns materiais necessários para fazer o bonde funcionar. Ela tentou usar uma manivela enferrujada como forma de abrir uma janela, mas ela se partiu antes que pudesse abrir a janela. Felizmente, ela conseguiu usar uma chave de fenda para terminar de abrir a janela com a base da manivela e entrar. Nicholai, que entrara logo depois dela, seguiu para uma garagem nos fundos.

Ao encontrar um pouco de óleo de máquina atrás da caixa registradora, Jill ouviu uma explosão vinda da garagem. Ela tentou ir ajudar Nicholai, mas as chamas eram muitas para ela. Tudo o que ela podia fazer era fugir do posto. Não havia como alguém sobreviver àquelas chamas…

Sepultando um Amigo

Depois de conseguir um fusível que eles podiam usar na subestação de força, eles seguiram para o escritório principal de uma fabricante farmacêutica no subúrbio da cidade. Ao entrar, Carlos logo parou de andar. Seguindo sua linha de visão, eles viram um jovem soldado claramente infectado com o vírus que havia transformado a cidade num Inferno. O soldado implorou a Carlos para atirar nele e matá-lo antes que se tornasse um zumbi. Carlos sacudiu a cabeça e respondeu, “Pare com isto, Murphy! Eu não vou atirar em você de jeito nenhum!”.

De repente, os apelos que vinham da boca de Murphy cessaram, e ele emitiu um urro baixo, gutural. Carlos, desviando seus olhos do ex-soldado se aproximando, disparou com sua M4 repetidamente em seu rosto.

Jill tentou dizer alguma coisa a ele, mas um Carlos visivelmente trêmulo simplesmente saiu correndo do prédio antes que ela pudesse articular uma só palavra.

Sem Mais Delongas

Finalmente, o bonde estava consertado. Agora eles só precisavam reunir os outros sobreviventes e sair da cidade o mais rápido que pudessem. Jill retornara para ver Dario Rosso, que havia se trancado no depósito. Desta vez vou me certificar de levá-lo, ela pensou, nem que eu tenha de arrastá-lo de lá…

Mas assim que pisou no depósito, ela descobriu que não havia mais necessidade de estar lá. Aos pés dos zumbis que haviam acabado de invadir o depósito jazia o corpo do que costumava ser Dario Rosso.

O Monstro Subterrâneo

No caminho de volta para o bonde, aquele monstro que parecia um Tyrant apareceu diante dela mais uma vez. Não tem como derrubá-lo numa luta justa. Ela rapidamente se esquivou por baixo de seu braço e saiu correndo, mas um repentino tremor de terra a desequilibrou e a jogou em um túnel subterrâneo. Enquanto ela procurava por uma escada para subir de volta para a superfície, um monstro gigantesco estourou uma parede próxima para atacá-la. Fugindo do líquido venenoso que ele cuspia, Jill de alguma forma conseguiu rastejar de volta para a superfície. Recuperando seu fôlego, Jill tentou conter seu medo e ódio da criatura. Eu preciso sair daqui. Não importa o que aconteça, eu tenho que sair desta cidade…

Uma Morte Suprema

Encontrando-se novamente com Carlos no bonde, estava claro que enquanto ele ainda não estava completamente recuperado de seu choque, ele agora tentava se conter, e conseguia assimilar a situação com calma. Ao ouvir que Nicholai havia morrido no incêndio do posto de gasolina, ele não perdeu tempo em dar ignição no bonde e fazê-lo andar.

Mas então, eles repentinamente ouviram gritos altos de Mikhail vindos do vagão de trás. Ao olharem para trás, viram que o monstro perseguidor os havia seguido até o vagão. Jill mirou e atirou, mas viu que não fazia efeito algum. Mikhail ordenou que Jill e Carlos corressem, e então disparou seu pente inteiro de M4 no monstro, temporariamente paralisando seus movimentos. Mas ele logo ficou sem balas e foi derrubado no chão pelo braço gigante da criatura. Ele estendeu seu tentáculo para dar o ataque final. Mas em vez de se esconder, Mikhail apenas sorriu sombriamente e abriu uma granada de mão. Com suas últimas forças, ele arrancou o pino.

Ao ouvirem a explosão do vagão da frente, Jill e Carlos rapidamente imaginaram o que havia acontecido. Mikhail havia se sacrificado bravamente para protegê-los. Mas então, sem terem tempo de absorver a situação, eles perceberam que o bonde que estavam guiando havia parado de responder aos seus comandos. Jill puxou o freio de emergência numa tentativa de impedir que ficasse fora de controle, mas já era tarde demais. O vagão seguiu pelo asfalto da rua e acabou batendo na lateral da torre do relógio.

Lutando até a Morte na Torre do Relógio

O sino da torre do relógio, que Jill e Carlos haviam concordado anteriormente em usar como sinal para os membros restantes da U.B.C.S. fugirem, soou no escuro. E como combinado, as hélices do helicóptero da U.B.C.S. podiam agora ser ouvidas zumbindo acima deles.

Estamos salvos… Mas logo quando Jill começou a dar um suspiro de alívio, o helicóptero de repente começou a pegar fogo. O monstro perseguidor de roupas pretas havia disparado com o lança-mísseis que estava carregando. Ele, então, virou sua atenção para Jill e mirou o lança-mísseis. Naquele momento, Carlos veio correndo atrás da criatura. Ele conseguira impedi-lo temporariamente, mas não antes da criatura atacar Jill com seu tentáculo, fazendo-a cair no chão. Enquanto sua consciência começava a se apagar, Jill começou a tremer de medo. Não era um engano. Ela agora estava infectada com o T-Virus…

Procurando a Vacina

Carlos estava no hospital aos fundos da torre do relógio. Deve haver uma vacina aqui que possa ajudar a salvar a Jill. Eu não posso me permitir desistir sem lutar. A visão de Murphy, que ele fora incapaz de ajudar, e Mikhail, que bravamente lutada para que ele e Jill pudessem sobreviver, estava firmemente grudada na mente de Carlos. Não posso deixar mais ninguém morrer, pensou ele.

Ao entrar no laboratório subterrâneo, ele encontrou outro membro da U.B.C.S., Tyrell Patrick. Dando as costas para Carlos, Tyrell tentava abrir o cobre na parede diante dele, enquanto contava a Carlos sobre um “observador” que vinha coletando informações da infecção em Raccoon e dados de batalha da U.B.C.S.. Ele contou a Carlos sobre a presença de um homem de cabelos grisalhos que andaria qualquer distância que, para manter a informação somente para si, atacaria seus companheiros soldados com o propósito de coletá-las.

Tyrell abriu o cofre, que logo começou a brilhar perigosamente. Os reflexos de Carlos o fizeram saltar para se proteger a tempo de evitar a explosão, mas Tyrell não teve tanta sorte. Era uma armadilha manjada para qualquer soldado que quisesse tirar vantagem da confusão para encher seus próprios bolsos. Será que isto também era obra de Nicholai, o homem de cabelo grisalho de quem Tyrell falou? Procurando pela sala mais uma vez, Carlos descobriu alguns documentos que foram deixados lá pelos trabalhadores do hospital. Enquanto os lia, seus olhos começaram a resgatar uma vaga idéia. Eles vinham trabalhando em uma vacina para o vírus neste hospital!

O Observador

Graças à Carlos, a vida de Jill havia sido poupada. Agora ela estava procurando uma rota de fuga investigando a pequena cabana no cemitério do parque. Pouco depois de ter descoberto uma sala secreta, ela encontrou vários documentos espalhados por lá. Um em particular parecia mais valioso do que os outros.

A criatura de roupas pretas era conhecido como Nemesis, e era uma arma biológica enviada com um único objetivo: eliminar todo membro restante dos S.T.A.R.S.. Finalmente, Jill compreendeu o que Nicholai quis dizer quando contou a ela que era perigoso. Como uma das participantes do Incidente da Mansão, Jill havia involuntariamente se tornado uma cobaia para o objetivo de testar as capacidades do Nemesis.

Ela deixou a sala e encontrou Nicholai parado do lado de fora, esperando por ela. Ele havia sobrevivido, no fim das contas. Ele contou a ela como sua missão era diferente da dos outros soldados. Como um Observador, seu verdadeiro objetivo lá era relatar à Corporação Umbrella a dimensão do estrago que o vazamento do vírus havia causado em Raccoon. Ele nunca tivera a intenção de cooperar com Jill e os outros em sua fuga.

Naquele momento, eles ouviram um estrondo lá fora, e Nicholai correu para ver o que era. Jill o seguiu, apenas para descobrir que aquele monstro gigante do subsolo havia chegado à superfície e agora os estava atacando. Enquanto repelia a criatura com granadas, Jill conseguiu lhe dar um grande choque elétrico de um poste de luz caído, mandando-a de volta para o lugar de onde viera.

Mas Quando Pensou que Havia Escapado…

Depois de fugir do parque, Jill estava atravessando uma ponte suspensa quando mais uma vez deu de cara com o chamado apropriadamente de Nemesis. Não só não havia como vencê-lo, também não havia lugar para onde correr. Não tendo outra escolha, ela cerrou seus dentes e pulou da ponte direto no rio, que então a levou até uma fábrica abandonada nos arredores da cidade. Felizmente, Carlos havia chegado lá. Infelizmente, logo que eles se reencontraram, Jill descobriu que mísseis seriam lançados na cidade ao amanhecer para evitar que o vírus se espalhasse mais.

Esta fábrica também tinha que ser propriedade da Umbrella. Neste caso, poderia também haver alguma outra rota de fuga aqui apenas esperando para ser encontrada. Ela e Carlos decidiram se separar e procurar separadamente. O primeiro passo de Jill foi desativar as medidas de segurança que os impediam de explorar livremente a fábrica.

Eliminação de Resíduos

Jill havia chegado à sala de eliminação de resíduos, mas o sistema da sala estava ativado e ela se viu presa lá dentro. Por detrás dela, Nemesis apareceu mais uma vez. Ele estava esperando lá para surpreendê-la.

Usando o gás dos canos e a munição que conseguira guardar, Jill de alguma forma conseguiu parar o Nemesis. Com um cartão-chave que encontrou no corpo de um dos trabalhadores do laboratório abandonado, ela fugiu da sala por um triz. Mesmo se Nemesis ainda estivesse vivo, ele com certeza seria dissolvido por todas as substâncias químicas naquela sala. Era um bom modo de se livrar daqueles resíduos humanos.

De repente, um aviso ecoou pela fábrica. Os mísseis estavam chegando perto. Jill seguiu para o centro de eliminação. Pelo caminho, ela encontrara um velho amigo em um armário aberto: um lança-mísseis portátil com 4 mísseis. Este era o mesmo tipo de arma que permitira a ela e Chris para enterrar o Tyrant no fim do Incidente da Mansão.

Sem Ter Para Onde Correr

Jill entrou na sala de controle da fábrica, e da janela ela viu um helicóptero militar. No assento do piloto estava Nicholai. Estava claro que ele estava tentando fugir sozinho da cidade. Jill o chamou no rádio e exigiu que ele cooperasse com eles, mas Nicholai ainda não tinha intenção de fazer isto. De fato, ele revelou a ela que assassinara seus companheiros de equipe por uma recompensa especial, e ainda havia um prêmio especial pela cabeça de Jill. E então, para coletar estas recompensas, ele mirou as metralhadoras do helicóptero para o local onde Jill estava.

Porém, Nicholai percebeu que os mísseis altamente poderosos estavam se aproximando da cidade, e parou seu ataque e seguiu com seu plano egoísta de fuga. Quando Carlos veio correndo ver o que havia acontecido, Jill o informou de que o meio de fuga deles, o helicóptero, havia sido roubado por Nicholai. Assim que os mísseis detonassem, a fábrica, assim como a cidade toda, desapareceriam sem deixar rastros. O fim estava claramente chegando ao fim.

Mesmo assim, Carlos se recusava a desistir. “Deve haver outra maneira. Eu estou muito certo de não desistir ainda.” Sua recusa em voltar atrás lembrou Jill de seu momento na mansão. Ela sabia que nunca poderia desistir de ter esperança até o final.

A Persistência da Arma Biológica

Enquanto ouvia os avisos sem emoção da fábrica, Jill tentava sair pela entrada dos fundos e chegou na sala do incinerador. Havia uma máquina lá que Jill nunca havia visto antes. Verificando os arquivos que havia coletado durante sua jornada, ela descobriu que era um novo tipo de arma de raio desenvolvida pelo exército dos EUA chamada Espada de Paracelsus. E no canto desta sala jazia o corpo de outro Tyrant.

Naquele momento, uma imensa criatura surgiu do teto. Após devorar o corpo do Tyrant, a grotesca criatura crescendo de tamanho iniciou outra transformação drástica. Não havia engano. Aquele era Nemesis, transformado no que devia ser sua forma final.

Jill preparou seu lança-mísseis, mas continuou recuando. Se ela pudesse colocar as tomadas na bateria na parede, ativaria a arma eletromagnética na sala. Enquanto segurava o Nemesis com o lança-mísseis, Jill continuava carregando a bateria. Urrando tremendamente, a arma eletromagnética soltou um raio poderoso que devastou a montanha de lixo diante dela e explodiu a mutação final do Nemesis em centenas de pedaços sangrentos.

Jill finalmente descobriu um elevador que levava para fora de lá, mas então ouvir algo se mexendo atrás dela. Era um pedaço do Nemesis explodido, ainda rastejando na direção dela, determinado a completar sua missão. Pegando um Revólver Magnum próximo dela, Jill deu o último tiro.

Ela nunca iria parar até fazer o mesmo com todas as criações da Umbrella.

Última Fuga

Ao escapar da fábrica, Jill observou seus arredores, mas viu apenas sucata e lixo. Não havia carro aqui, nem helicóptero. Não havia nada que ela pudesse usar para fugir. Silenciosamente, resignou-se a aceitar seu destino.

Então, ouviu Carlos a chamando. Ele disse que depois de pedir ajuda no rádio, alguém que estava procurando por Jill concordou em vir resgatá-los. Antes que ela pudesse compreender a nova e feliz situação, outro helicóptero apareceu sobrevoando e começou a descer na direção deles. Ela embarcou com Carlos, e o helicóptero voou para fora dos limites da cidade. Quando ela agradeceu o homem no assento do piloto, uma barba familiar se virou na direção dela. Naquele exato momento, um grande choque atingiu o helicóptero, e a cidade sob eles desapareceu com um lampejar e uma explosão.

A cidade de Raccoon havia sido oficialmente varrida do mapa. Todos os inocentes civis, seus velhos colegas… todos agora haviam partido. Tendo a sorte suficiente de escapar, Jill estava agora cheia de arrependimento e ódio.

Estou cansada de fugir. De agora em diante, a Umbrella é que irá fugir.

(Dependendo de diferentes escolhas durante o jogo, haverá maiores mudanças ao longo da história.)