Livro Traduzido | Resident Evil Archives

PALAVRA-CHAVE #9 – R.P.D.
DEPARTAMENTO DE POLÍCIA DE RACCOON

A Polícia da cidade de Raccoon costumava ser a principal protetora dos cidadãos de Raccoon. A Delegacia de Polícia, que deu aos espectadores um profundo senso de história, constantemente havia policiais seguindo para quaisquer partes da cidade onde havia necessidade. Durante o incidente do vírus, muitos policiais do turno da noite reagiram ao caos, mas todos eles morreram desnecessariamente nas mãos do corrupto chefe de polícia, Brian Irons, que vinha trabalhando secretamente para a Umbrella. Os momentos finais destes bravos policiais podem ser recriados a partir de bilhetes e relatórios que eles deixaram pela delegacia.

Logo abaixo, reunimos todos estes bilhetes.

20 de Setembro de 1998. Enquanto estava de ronda, o Sargento Neil Carlsen recebeu um chamado de que havia um homem suspeito andando pelos esgotos, e correu para a localização dada. O homem suspeito escapou, mas deixou para trás uma quantidade de itens: uma pequena quantidade de explosivo plástico, um cronômetro elétrico, um cartucho de munição 9×19 e um visor infravermelho quebrado. Todos eram itens padrão das Forças Especiais da Umbrella, mas por causa da lei marcial ter sido declarada, a polícia não pôde conduzir uma investigação completa. (Os explosivos plásticos mais tarde seriam bem usados por Claire Redfield em sua investigação da delegacia.)

24 de Setembro de 1998. O oficial Marvin Branagh recebeu um relato de roubo e seguiu para a cena. As duas jóias do relógio ornamental em frente à Prefeitura haviam sido roubadas. Ele foi impedido de investigar futuramente, graças à lei marcial. (Uma das jóias roubadas reapareceu no dia 26 de Setembro na delegacia no corpo de um dono de restaurante zumbificado de 42 anos de idade, depois de ser baleado e morto.) Após a epidemia da “doença canibal”, e a confusão resultante na cidade, o Chefe de Polícia Brian Irons estava preocupado que o depósito de armas fosse saqueado, e ordenou que as armas de lá fossem distribuídas entre os subordinados. Logo depois, estes oficiais perceberam que suas rotas de fuga haviam sido destruídas pelo plano de Irons, e eles foram abandonados sem qualquer esperança de ajuda. Resignados ao seu destino, os oficiais restantes não tinham alternativa a não ser se defenderem enquanto pudessem, e parcerias se formaram entre colegas.

26 de Setembro. Os zumbis finalmente invadiram a delegacia. Por causa da complexa distribuição de armas, ficamos sem munição e muitos de nós fomos mortos quando os zumbis entraram a força. Os oficiais sobreviventes se abrigaram no escritório na ala oeste e na sala de reuniões, e planejaram derrubar os zumbis restantes e resgatar seus amigos. Aqueles que participaram deste plano foram David Ford (quem fez estas anotações), Elliot Edward, Mayor (nome verdadeiro desconhecido; conhecido no Homicídios como atirador exímio), e mais outros 20. Enquanto isto, o Chefe Irons estava abrigado em seu escritório, planejando morrer e levar todos os seus colegas oficiais com ele. O primeiro em nosso grupo a morrer foi Edward (não o Elliot), que baixou sua guarda e levou um tiro no coração. Considere as inúmeras dificuldades que estávamos enfrentando: os bloqueios que quebraram durante a primeira batalha; fechaduras eletrônicas que não funcionavam; dificuldades em conseguir munição; apesar de outras armas estarem disponíveis na sala de armas, a pessoa com as chaves estava perdida e ninguém sabia onde estava. Você pode começar a entender o problema em que estávamos. E com a morte de Mayor, que foi morto tentando salvar David, uma sensação de desespero começou a emergir nos sobreviventes.

27 de Setembro. Depois de os oficiais de elite mudarem de lugar, os zumbis romperam a barricada do escritório na ala oeste e atacaram aqueles que estavam acampando ali. Doze oficiais foram mortos, e o resto deles, exceto Marvin, desceu com os feridos para o depósito de bens confiscados para mantê-los a salvo. Um David alucinado e bêbado, talvez se sentindo responsável pela morte de Mayor, foi tomado por um ódio cego, disparando com sua espingarda nos zumbis e em três oficiais transformados. Os Lickers apareceram e mataram outros três homens. Isto foi mais ou menos ao mesmo tempo em que os oficiais de elite foram liquidados.

28 de Setembro. Quando os zumbis invadiram a sala de estratégia, David e outros três oficiais foram mortos em batalha. A função de tomador de notas foi passada para Elliot, e conforme sua sugestão, a rota de fuga pelos esgotos foi levada em consideração. Mas como o caminho para a rota de fuga na asa leste estava tomado por zumbis, acreditava-se que seria negligente demais segui-la.

29 de Setembro. No momento em que Leon S. Kennedy chegava à delegacia para assumir sua função, Elliot e os outros estavam planejando uma fuga por helicóptero. Mas um grande grupo de zumbis atacou o helicóptero, fazendo com que caísse dentro da delegacia e explodisse. O único sobrevivente foi Marvin, sozinho no escritório na ala oeste com um ferimento fatal. Quando Marvin sucumbiu ao seu ferimento no mesmo dia e se tornou um zumbi, o Departamento de Polícia de Raccoon, com exceção de Brian Irons ainda trancado em seu escritório, fora completamente arrasado.


Força Especial Selecionada do R.P.D.
Aprimorando a Força

Os oficiais mandados para lidar com o problema dos zumbis infectando a cidade de Raccoon eram de um calibre mais alto do que a polícia comum. Eles eram um grupo especial formado após a dispersão dos S.T.A.R.S. depois do Incidente da Mansão, e estavam focados em se tornar equivalentes à S.W.A.T. de Raccoon. Os membros desta nova equipe foram todos selecionados por sua excelência, e estavam equipados com espingardas e submetralhadoras, armamento muito mais poderoso do que os oficiais normais carregavam.

Quando o desastre começou, a nova equipe deveria conter os danos. Mas havia muito mais zumbis do que o esperado, e eles invadiram a delegacia de polícia com força inimaginável. Diante de inimigos que sequer recuam quando levam tiros, os policiais selecionados se viram em uma situação altamente desvantajosa. E pouco depois de sua chegada, todos eles foram eliminados, junto com os membros da U.B.C.S..


Adendo
A Investigação Interna ao Chefe de Polícia e as Ações de Chris

Pouco depois dos membros sobreviventes dos S.T.A.R.S. retornarem do Incidente da Mansão, Chris Redfield criou um relatório para o Chefe do R.P.D., Brian Irons. O relatório era incrivelmente detalhado, começando pela infiltração da primeira equipe na mansão, e terminando com a surpreendente revelação de que Albert Wesker estava sendo cúmplice da Umbrella o tempo todo. E ainda assim, Irons não tomou qualquer ação de investigar futuramente o assunto, ignorando completamente o relatório de Chris. Mesmo dois meses após o incidente, ele não fez nada para investigar as atividades da Umbrella. Desconfiando do Chefe Irons, e cansado da falta de ação, Chris decide ir ao Quartel General da Polícia Federal e exige uma investigação ao R.P.D. e ao Irons. Enquanto a investigação estava em andamento, Chris agia como se tivesse perdido a cabeça diante de Irons para evitar suspeitas e criar tempo para agir livremente. Ficar enfurecido ao ouvir um derramamento de café e socar Elran na Divisão Juvenil eram apenas parte da encenação.

A investigação trouxe à tona uma grande quantidade de fatos sobre o chefe. A saber, que ele tinha uma ficha criminal e vinha recebendo propina da Umbrella havia algum tempo. Mas quando o relatório do líder da investigação, Jack Hamilton, chegou, Chris já havia deixado os S.T.A.R.S. para trabalhar sozinho. Isto aconteceu porque pouco depois de Chris pedir a investigação, ele encontrou parte de um papel de pesquisa sobre o G-Virus, e previu o desastre que estava por vir. Chris passou rapidamente esta informação a Jill, e então partiu para a Europa para investigar a Umbrella por conta própria.