“Resistance não tem como ser canon”, de acordo com produtor de Resident Evil 3 Remake

1

O site GamesRadar lançou hoje um artigo em seu site contando informações bem interessantes sobre Resident Evil 3 Remake. O produtor Peter Fabiano deu uma nova entrevista à revista Official Playstation Magazine e o GR destacou dois pontos importantes antes mesmo da revista chegar às bancas.

O primeiro é sobre a canonicidade do Resistance. De acordo com o produtor, o modo online não tem como ser canônico para a história de Resident Evil, porque “basicamente se passa em cenários que tornam impossível encaixá-lo na linha do tempo”. Isto explica, por exemplo, porque Annette Birkin será uma das vilãs (Mastermind) do jogo. Uma pena que talvez a história de Daniel Fabron não será canônica, já que seu background e os dos sobreviventes pareciam bem legais. O lado bom é que, quem não curte online (meu caso), não vai precisar se preocupar em jogar para encaixar os eventos na história.

Ainda sobre o Resistance, Peter explicou o motivo de fundir os dois jogos, RE3 Remake e Resistance, no mesmo pacote: “Você com certeza vai lembrar que o subtítulo japonês de Resident Evil 3 era ‘Last Escape’ (Última Fuga). Nos dois títulos temos personagens que estão tentando fugir, então tematicamente faz sentido. Também queríamos aceitar o desafio de construir um jogo online que se passasse no universo de Resident Evil.”

E o segundo ponto trazido na entrevista é sobre a história da Capcom ter criado um Nemesis em tamanho real para implementar no jogo através da fotogrametria. O produtor esclareceu a história, dizendo que, na verdade, eles “passaram por vários conceitos até o diretor definir o atual Nemesis. Depois o Diretor de Arte criou a versão final na ferramenta Z Brush e finalizou sua modelagem em Maya, outra ferramenta 3D”. Que pena, já fiquei imaginando aqui um Nemesis em tamanho real no lobby da Capcom do Japão… A OPM me iluJILL… 🙁

COMPARTILHAR